Manutenção da frota de caminhões: 3 cuidados que uma empresa deve ter

    Facebook - Comentários
    #wpdevar_comment_2 span,#wpdevar_comment_2 iframe{width:100% !important;}

    Compartilhe

    Muitas vezes negligenciada, a manutenção da frota de caminhões deve ser uma preocupação constante na gestão de uma empresa, pois um descuido pode custar vidas e trazer muitos prejuízos que vão impactar negativamente no balanço de suas finanças.

    Evite problemas com a sua frota, acompanhe o nosso artigo e descubra 3 dos principais cuidados que uma empresa deve ter!

    1. Tenha um calendário de manutenção da frota de caminhões

    Ao realizar a manutenção preventiva de sua frota com frequência, você garante que os seus motoristas tenham mais segurança para fazer seus trajetos rotineiros.

    A manutenção minimiza a ocorrência de panes durante o percurso ou, pior, acidentes com consequências fatais, devido a problemas que poderiam ter sido evitados, como um desgaste acentuado das pastilhas de freio.

    Além disso, quando mais tranquilos e seguros estiverem os seus motoristas, menos desgastes terão, e as cargas vão chegar a tempo e em segurança a seus destinos.

    Há inúmeros benefícios em se realizar a manutenção preventiva de uma frota de veículos, especialmente daqueles de grande porte, que exigem mais cuidado e têm custos maiores no conserto. Por exemplo:

    A vida útil da frota aumenta

    A vida útil de um caminhão depende de vários fatores, como o tipo de uso e a exposição ao tempo; fatores que aceleram ou diminuem o degaste de componentes como:

    • suspensão;
    • pneus;
    • freios;
    • motor.

    Ao gerenciar a manutenção da frota de caminhões com regularidade, você prolonga a sua vida útil, diminuindo a necessidade de comprar novos veículos com frequência.

    Os caminhões ficam disponíveis mais tempo

    Imagine que você tenha uma frota de 5 caminhões e 3 deles estejam parados por problemas mecânicos. Esse quadro não é tão irreal e prejudica em muito a atividade comercial de empresas que dependem do transporte de carga.

    Ao realizar uma manutenção frequente desses veículos, menores são as chances de que eles fiquem encostados na oficina.

    2. Esteja atento ao nível de fadiga dos motoristas

    O gerenciamento da frota de caminhões também passa pela preocupação com o bem-estar dos motoristas, uma vez que o sono e o cansaço representam 60% das causas dos acidentes rodoviários no pais.

    Assim, é importante ter atenção com a fadiga e adotar medidas preventivas, como:

    • otimizar rotas;
    • treinar continuamente os motoristas sobre as leis de trânsito;
    • fomentar a direção defensiva;
    • garantir que dirijam sem sono acumulado e sóbrios, para não cometerem erros nas estradas.

    Além disso, oriente-os sobre a preocupação com a devida manutenção do veículo, verificando itens como:

    • a calibragem dos pneus;
    • a capacidade de carga transportada;
    • o envio do veículo para revisão, sempre que necessário.

    3. Crie indicadores para acompanhar a frota

    De nada adianta você se preocupar com o gerenciamento da manutenção da frota de caminhões, se não tiver uma forma de controlar o processo.

    Assim, procure criar indicadores que permitam um acompanhamento mais preciso de todos os veículos da frota, o que pode ser feito por meio de de uma planilha de Excel, por exemplo.

    Nela, você pode criar guias indicativas para cada caminhão e cada motorista, com:

    • histórico detalhado de distâncias rodadas;
    • manutenções realizadas;
    • treinamentos pelo qual cada funcionário passou;
    • previsão da próxima revisão;
    • durabilidade de cada componente que afete o funcionamento e a segurança.

    Com isso, você pode se programar para realizar uma manutenção mais eficiente de sua frota, sem correr o risco de paradas repentinas, o que pode prejudicar o andamento de seus negócios.

    Agora que você viu a importância da manutenção da frota de caminhões, curta a nossa página no Facebook e não perca nenhuma dica!

    Facebook - Comentários

    Compartilhe

    O que achou do artigo? Deixe um Comentário

    Seu email não será divulgado.
    São campos obrigatórios *