Por que fazer rodízio dos pneus do seu carro? Entenda!

    Powered by Rock Convert
    Facebook - Comentários
    #wpdevar_comment_1 span,#wpdevar_comment_1 iframe{width:100% !important;}

    Powered by Rock Convert
    Compartilhe

    Sumário

    Powered by Rock Convert

    “Se for para ficar careca, que fique eu e não o pneu”. É provável que você já tenha ouvido alguém falar algo parecido com isso. No entanto, tenha calma! Não é preciso adotar essa frase como uma nova filosofia de vida. Ela apenas reflete a preocupação que muitos têm com a vida útil dos pneus do automóvel.

    Quando se trata dos pneus, todo cuidado é pouco. Afinal, a única parte do carro que está em contato com o solo é justamente o pneu. Trafegar com ele em mau estado pode, inclusive, resultar em multa e apreensão do veículo por ser uma infração gravíssima — de acordo com o inciso XVIII do artigo 230 da lei federal nº 9.503.

    O rodízio dos pneus já é bem conhecido, mas muita gente ainda deixa de fazê-lo periodicamente. Por isso, neste post nós daremos 5 motivos para você levar essa prática mais a sério e trafegar com mais segurança — e até economizar uma graninha. Aqui também explicaremos como fazer rodízio de pneus de forma eficaz.

    Vamos lá?

    Quais são os motivos para fazer o rodízio de pneus?

    1. O rodízio dos pneus reduz o desgaste

    O rodízio é a troca de posição das rodas do carro (e dos pneus, é claro). Isso é feito para equilibrar o uso dos pneus e garantir que o desgaste do conjunto seja linear, evitando que o proprietário do veículo tenha que trocar um pneu de cada vez.

    Embora pareça simples, o rodízio é uma técnica que envolve muitas variáveis e demanda precisão na execução. Tipos diferentes de pneus, carros e trações demandam técnicas diversas de rodízio.

    2. Melhora o alinhamento e o balanceamento

    A manutenção preventiva é essencial para qualquer componente do veículo — no caso dos pneus não é diferente. Por ser executada regularmente, ao realizá-la o mecânico será capaz de detectar outros problemas e evitar contratempos futuros.

    Soma-se a isso também o fato de ser obrigatório refazer o alinhamento e o balanceamento do veículo após cada rodízio, deixando o automóvel ainda mais seguro e preparado para a estrada.

    3. Aumenta o conforto

    Os veículos que ficam muito tempo sem fazer o rodízio podem apresentar um desgaste irregular e excessivo de alguns pneus. Isso causa desconforto na hora de guiar, principalmente se surgirem bolhas e estufamentos nos pneus.

    Ao rodar, o motorista sentirá no carro e no volante aquela impressão de “roda quadrada”, deixando a viagem muito desagradável.

    4. Dá mais segurança e estabilidade

    Outro benefício do rodízio é que ele adia o desgaste dos pneus. Quando o proprietário realiza o rodízio dos pneus regularmente, ele evita que um pneu rode careca até chegar a hora de trocar os outros — afinal, substituir todos os pneus de uma vez geralmente é mais barato.

    Manter os pneus em melhor estado em lugares em que há menos peso/aderência também ajuda na estabilidade.

    5. Economiza nas trocas de pneus

    Além de garantir que você poderá trocar todos os pneus e pagar pela mão de obra de uma vez só, o rodízio também faz com que os pneus do seu carro durem mais. O resultado disso você sente no bolso, pois as trocas serão menos frequentes.

    Quais fatores influenciam no tipo de rodízio ideal para o seu carro?

    Os pneus de um carro não sofrem desgaste de forma idêntica. As conversões que fazemos à esquerda, geralmente, são realizadas com uma velocidade maior do que para a direita. Isso faz resulta em maior carga para o pneu dianteiro direito, o que significa um desgaste superior e mais rápido em relação ao pneu dianteiro esquerdo.

    Alguns parâmetros devem ser analisados. Veja quais são.

    Tração dianteira e traseira

    Os pneus que recebem a força do motor sofrerão maior deterioração do que os demais. Grande parte dos automóveis em circulação têm tração dianteira. Nesses veículos, boa parte da carga está na frente e isso resulta em mais atrito com o solo.

    Pneu unidirecional

    Esse pneu é diferente dos demais, visto que o padrão da banda de rodagem (parte da borracha em atrito com o chão) é desenhado para que o pneu rode em apenas uma direção. Para identificar esses pneus, basta olhar a lateral externa. Normalmente, há uma seta indicando o sentido do giro.

    Pneu simétrico

    É parecido com o unidirecional e também tem uma seta que indica o sentido de rotação. Para facilitar a identificação, basta traçar uma linha imaginária no centro da banda de rodagem. Se os lados forem iguais, o pneu é simétrico. Ele é recomendado para ser usado em pistas secas e em temperaturas elevadas.

    O pneu simétrico bidirecional pode atuar em ambos os sentidos de rotação.

    Pneu assimétrico

    No caso do assimétrico, as indicações “outside/inside” ou “exterior/interior” na lateral o identificam. Se você utilizar a linha imaginária no meio da banda de rodagem, perceberá que os dois lados são diferentes.

    A parte externa é mais robusta para absorver melhor os esforços na hora das curvas. No lado interno, ele é desenhado para conseguir expulsar a água em pistas molhadas.

    Como fazer rodízio de pneus?

    Sabendo qual é o tipo de tração do seu veículo e o formato do pneu, é só seguir as recomendações abaixo para fazer o rodízio dos pneus.

    • tração traseira: os pneus traseiros precisam ir para frente em linha reta. Os pneus da frente devem ir para a traseira invertendo-se o lado. Ou seja, o dianteiro esquerdo deve ficar na traseira direita.
    • tração dianteira: é o contrário do processo anterior. Os pneus dianteiros vão em linha reta para o fundo e os de trás devem ser invertidos na frente.
    • tração nas 4 rodas: os pneus devem ser trocados em forma de “X”.
    • tração nas 4 rodas com pneus assimétricos: os pneus da frente vão para trás e vice-versa, mas sem inverter o lado.
    • pneu unidirecional, tração traseira ou dianteira: rodízio sempre das rodas do mesmo lado (sem cruzar), podendo ser tanto da traseira para a dianteira quanto o contrário.
    • pneu direcional e assimétrico: os pneus da frente vão para trás e vice-versa, mas sem inverter o lado.

    É muito importante consultar o que a montadora do seu veículo tem a dizer sobre o rodízio. Há algumas que não recomendam a rotatividade de pneus em nenhuma hipótese, inclusive. Por isso, tire o manual do porta-luvas, limpe a poeira e veja o que ele aponta sobre o assunto.

    O momento ideal para o rodízio

    O tempo recomendado para a realização do rodízio de pneus varia de acordo com o fabricante. Porém, a média ideal para realizar o serviço está na casa dos 8 mil quilômetros rodados. Fazendo isso, seus pneus estarão sempre nas melhores condições de rodagem.

    Depois de ver os motivos para fazer o rodízio, descobrir alguns termos técnicos dos pneus e aprender como fazer o rodízio de pneus, é o momento de colocar o conhecimento em prática e ver se já está na hora de realizar o procedimento.

    Agora que você já está careca de saber sobre a importância do rodízio, que tal ajudar seus amigos? Basta compartilhar este artigo nas suas redes sociais e espalhar a informação!

    Facebook - Comentários

    Powered by Rock Convert
    Compartilhe

    O que achou do artigo? Deixe um Comentário

    Seu email não será divulgado.
    São campos obrigatórios *