Saiba quais são os danos provocados por buracos

    Facebook - Comentários
    #wpdevar_comment_1 span,#wpdevar_comment_1 iframe{width:100% !important;}

    Compartilhe

    Sumário

    As vias brasileiras são conhecidas pelos seus buracos grandes e numerosos e, em época de chuva, a situação se torna ainda pior: são poucas as ruas que têm boa pavimentação. O motorista até tenta desviar desses obstáculos, mas por não ter visto ou não ter condições de evitar o impacto, o veículo pode ser danificado.

    Neste post, conheça alguns dos danos provocados por buracos. Confira!

    Problemas nas buchas de suspensão

    Toda via tem uma velocidade máxima permitida, mas você deve analisar se esse limite é realmente adequado, de acordo com a quantidade de irregularidades do terreno.

    Quanto mais rápido você estiver rodando, mais impacto as buchas de suspensão sofrem e isso danifica esse componente. Além disso, lembre-se que dirigir em velocidade maior do que a permitida na via é contra a lei e torna a direção perigosa.

    Riscos para a suspensão

    A orientação é para que se evite passar por buracos, mas quando isso for inevitável e ele não for muito grande, os especialistas indicam que o motorista não freie o carro, pois quando freado, a suspensão se fecha, fica rígida e sob pressão. Assim, não conseguirá se movimentar livremente para absorver os impactos. Além do mais, com as rodas travadas o impacto é mais forte.

    A suspensão é o componente que mais sofre com ruas esburacadas e também o mais caro dentre os que são afetados. Um impacto muito forte pode estourar a suspensão, tornando-a sem função. Nesse caso o líquido presente no interior do amortecedor vaza e o carro perde a estabilidade, balança muito e começa a “cantar pneu” com facilidade nas curvas.

    Estragos nas rodas

    Dependendo da intensidade do impacto, as rodas podem ficar amassadas quando feitas de aço ou com trincas, no caso de rodas de liga leve. Nos dois casos é preciso procurar um especialista para avaliar os estragos e verificar se é preciso substituir as rodas.

    Os impactos fortes também causam desalinhamento e desbalanceamento das rodas, o que é bastante prejudicial na condução do veículo, principalmente em altas velocidades.

    Logo após sofrer um impacto, verifique se o alinhamento do carro foi comprometido ou leve a um mecânico de confiança para que ele investigue a situação.

    Rasgos ou bolhas nos pneus

    Ao passar com os pneus em buracos devemos prestar atenção se não houve nenhum dano à borracha, como rasgos laterais ou bolhas. Essas irregularidades tornam o pneu inutilizável, sendo necessário fazer a troca.

    Algumas borracharias indicam a vulcanização para o reparo de rasgos nas laterais do pneu, mas essa é uma técnica totalmente desaconselhável. O serviço malfeito pode inviabilizar o uso, já que o remendo interno pode provocar trepidações e até estouro do pneu em altas velocidades caso o reparo se solte.

    Atenção: danos podem gerar indenização

    Muitas pessoas não têm conhecimento, mas os danos provocados por buracos podem ser ressarcidos. Entretanto, é um direito que você terá que brigar para conseguir.

    Para recorrer à Justiça, primeiro você deve providenciar um boletim de ocorrência, reunir provas como fotos do local, do buraco e das condições do veículo e conseguir testemunhas.

    Depois é preciso providenciar ao menos três orçamentos e, em caso de ferimentos, laudos e receitas médicas também.

    Você ainda deve procurar um advogado de sua confiança ou um servidor da Defensoria Pública para se informar sobre como proceder.

    Em áreas urbanas, a ação deve ser contra a prefeitura. Já em estradas, deve ser contra o responsável, que pode ser o governo estadual ou federal para as rodovias públicas ou contra a concessionária em vias privatizadas.

    Além da preocupação com os danos provocados por buracos, também é preciso ficar de olho em alguns itens do carro, principalmente quando formos pegar a estrada. Aproveite as dicas e boa viagem!

    Facebook - Comentários

    Compartilhe

    O que achou do artigo? Deixe um Comentário

    Seu email não será divulgado.
    São campos obrigatórios *