Carretinha para carros: quais as regras de uso?

    É cada vez mais comum encontrar pessoas explorando o uso de carretinha para carros. Para quem não sabe, ela é acoplada na parte traseira dos veículos e é uma verdadeira facilitadora para o transporte dos mais diversos objetos.

    Facebook - Comentários
    #wpdevar_comment_2 span,#wpdevar_comment_2 iframe{width:100% !important;}

    Compartilhe

    É cada vez mais comum encontrar pessoas explorando o uso de carretinha para carros. Para quem não sabe, ela é acoplada na parte traseira dos veículos e é uma verdadeira facilitadora para o transporte dos mais diversos objetos.

    Ainda assim, muitas pessoas não sabem quais são as regras de uso e o que fazer para utilizar esse componente de maneira correta. Esse é um ponto muito importante, pois evita o descumprimento das leis e, até mesmo, uma possível apreensão do veículo — sem contar que ainda ajuda a promover um trânsito mais seguro.

    Para evitar qualquer tipo de dor de cabeça, leia o post a seguir e conheça o que regulamenta o uso dos reboques. Vamos lá?

    Comece registrando o reboque

    Esse é o primeiro ponto, tendo em vista que o reboque deve ser registrado e licenciado no Detran (Departamento de Trânsito). Esse passo faz com que ele tenha placa e documento (CRLV) específico. Ainda assim, não precisa se preocupar, pois mesmo tendo uma documentação exclusiva, você não precisará pagar IPVA ou seguro obrigatório, apenas a Taxa de Licenciamento anual.

    Portanto, se não quer ser parado nas rodovias ou nas blitz, não deixe de realizar o registro assim que pensar em usar a carretinha para carros.

    Cheque a necessidade de uma CNH especial

    A Carteira Nacional de Habilitação (CNH) pode ser diferente dependendo do veículo que será dirigido. Caso ele conte com peso bruto total (PBT) de até 3.500 kg (o que acontece na maioria dos casos), pode ser dirigido por motoristas habilitados na categoria B. É bom destacar que esse peso é e soma dos pesos do veículo (a carretinha para carros e a carga).

    Caso tenha até 6 mil kg, então a carteira deve ser do tipo C e, caso seja ainda mais pesada, então o motorista deve procurar pela habilitação na categoria E.

    Analise o tipo de fabricante e os componentes da carretinha para carros

    Embora esse ponto passe despercebido para muitas pessoas, o fabricante deve estar homologado por entidade credenciada pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).

    Somado a isso, é bom saber que existem resoluções no Conselho Nacional de Trânsito (Contran) sobre os equipamentos obrigatórios. Entre eles, podemos destacar: protetores das rodas traseiras, condição das lanternas, freios (de estacionamento e de serviço), luzes de freio e outros detalhes do tipo.

    Ah, e fique atento, pois o engate para puxar a carretinha para carros também deve seguir normas e o fabricante precisa estar registrado no Inmetro. O acessório deve seguir recomendações específicas que exploram o tipo de material, instalação e vários outros pré-requisitos.

    Depois de conhecer algumas das principais regras de carretinha para carros, esteja atento e evite transtornos. Como elas são válidas em todo o território nacional, a melhor alternativa é incorporá-las e, assim, trafegar sem maiores problemas. Isso sem contar que, como adiantamos, essa é uma ótima forma de rodar com mais segurança e evitar acidentes.

    E você, conhece outras pessoas que precisam se informar com essas regras? Então compartilhe este post nas suas redes sociais e marque os amigos para que fiquem atentos!

    Facebook - Comentários

    Compartilhe