Como as mudanças climáticas interferem na pressão dos pneus?

    Powered by Rock Convert
    Facebook - Comentários
    #wpdevar_comment_1 span,#wpdevar_comment_1 iframe{width:100% !important;}

    Powered by Rock Convert
    Compartilhe

    Sumário

    Powered by Rock Convert

    Mudança de clima e pressão do pneu, você sabe qual a relação entre elas? O brasileiro é um povo culturalmente “apaixonado” por carros e essa afirmação pode ser comprovada pelo aumento que tivemos no número de veículos nos últimos anos.

    Porém, mesmo tendo um gosto acentuado por automóveis, o motorista brasileiro ainda se informa pouco sobre detalhes mecânicos e de segurança, e a falta de conhecimento, pelo menos de fatores básicos, pode acarretar sérios prejuízos.

    Um dos fatores que muitas vezes é esquecido é a pressão do pneu. Dessa forma, este artigo explicará como as mudanças climáticas podem afetar a pressão nos pneus e ainda apresentará dicas de segurança relacionadas ao tema. Acompanhe a leitura.

    Qual a relação entre o clima e a pressão dos pneus?

    A primeira e principal influência climática na pressão dos pneus se trata do seu tempo de permanência sob altas temperaturas. Isso mesmo! Quando o veículo roda no asfalto quente, principalmente em estradas, o pneu esquenta de uma forma que o ar interno se dilata ocasionando uma expansão.

    Se você já assistiu a uma corrida da Fórmula 1, certamente já percebeu esse fato. Quando os pilotos estão em uma pista com temperaturas muito elevadas, é muito comum ver os pneus com bolhas ou rachaduras. Até mesmo os pneus mais “duros”, feitos para durarem mais, sofrem.

    Logicamente o seu carro não enfrenta as mesmas condições de uma corrida. No entanto, fica claro que o clima poderá influenciar diretamente no desempenho do automóvel, principalmente nas curvas.

    A interferência na calibragem gera algum risco?

    Calibragem é o ato de colocar a pressão de ar correta nos pneus. Isso garante o melhor desempenho dos itens e uma maior segurança para os motoristas. No entanto, a mudança climática também pode interferir diretamente na calibragem dos pneus.

    Por exemplo, quando o motorista resolve fazer a calibragem com os pneus frios, ele terá uma visão mais real sobre o tamanho do pneu e as libras que foram colocadas anteriormente (ou que restaram). Diferentemente do que acontece quando a temperatura está mais alta.

    Como já aprendemos anteriormente, sob clima quente, o ar se dilata e o pneu aumenta — dando uma falsa impressão de maior calibragem. Ou seja, a influência nesse sentido pode ser muito perigosa, pois o motorista pode executar o processo com desatenção acreditando que os pneus já estão com a pressão ideal.

    Existem pneus para diferentes climas?

    Mas uma vez, vamos recorrer a uma corrida. Já observou o que acontece quando começa a chover durante uma prova? Imediatamente as equipes começam a se organizar nos boxes para mudar o tipo de pneu. Um simples erro de estratégia na escolha do pneu pode determinar o resultado da prova. Concluímos, assim, que existem modelos específicos para cada situação do clima.

    Faça um teste: entre numa loja especializada em venda de pneus e explique ao vendedor que você gostaria de comprar um modelo para rodar num clima muito chuvoso ou num local com a temperatura muita baixa (com neve). Então, o funcionário indicará pneus de chuva e de inverno, respectivamente.

    Ao utilizar os pneus de acordo com o clima, você aumentará a sua segurança e melhorará a performance do veículo.

    Como se prevenir e aumentar a segurança?

    Agora que você já sabe que a mudança climática afeta diretamente a pressão dos pneus e a importância de utilizar os modelos que melhor se adaptam ao clima, aprenda agora como aumentar a segurança com algumas dicas práticas.

    Verificar a pressão dos pneus

    São poucos os motoristas que têm o hábito de verificar a pressão correta dos pneus, e, aqueles que o fazem, costumam ignorar o valor recomendado pelo fabricante. Não seguir a recomendação para não gastar os pneus mais rapidamente é um risco que não vale a pena correr.

    Ao não cumprir as especificações, o condutor tende a reduzir a estabilidade do veículo e deixá-lo mais exposto a condições adversas. Um exemplo prático do risco que você pode estar correndo é o veículo não parar na distância ideal em uma frenagem brusca, colocando vidas em risco.

    Se você quer ter certeza de que está rodando em segurança, essa é uma orientação básica.

    Calibrar os pneus corretamente

    Mais uma dica bastante válida, pois muitos podem acreditar que calibrar o pneu é apenas encher de ar e pronto, não necessitando seguir recomendações — um conceito equivocado.

    Para uma calibragem correta, é preciso analisar dois pontos:

    1. veículo cheio (passageiros ou carga);
    2. veículo vazio.

    Muitas pessoas acham que existe um padrão, mas, assim como a pressão, deve-se utilizar a calibragem determinada pelo fabricante, de acordo com os pontos citados acima. Além disso, tente realizar a calibragem sempre com os pneus “frios”, pois o resultado não sofrerá interferências do clima.

    E lembre-se: a sua dirigibilidade depende disso, pois um pneu mal calibrado pode fazer você passar direto em uma curva.

    Preparar o estepe

    Se já é comum a falta de atenção aos itens que estão em uso, os itens de reserva, como é o caso do estepe, são ainda mais esquecido. No entanto, ele precisa estar sempre preparado, pois você só o usará em casos de extrema necessidade.

    Alguns pontos importantes a considerar:

    • calibrar com frequência;
    • verificar a pressão, pois a falta de uso pode ressecar.

    Estabelecer a periodicidade de revisão

    Essa dica é um reforço sobre uma verificação periódica da pressão, bem como sobre a necessidade de se manter uma revisão constante, quanto a saúde do pneu em si, e fazer rodízio.

    Infelizmente, existem motoristas que gastam altos valores em acessórios complementares, como caixas de som potentes, DVDs, lâmpadas de LED, entre outros, e esquecem de trocar os pneus do veículo, sendo que esse último é um dos itens de maior segurança do veículo.

    Nos carros, principalmente, nem sempre é possível verificar por completo as condições do pneu — muitas vezes, a aparência da parte externa está boa, mas a interna está desgastada. Por isso, é essencial manter a periodicidade. Visite sempre o seu mecânico (ou borracheiro) e peça para que ele faça uma análise das condições dos pneus do veículo.

    Medir a pressão do pneu é uma obrigação de todo motorista que trafega nas cidades e nas estradas. Como apresentado no artigo, não se deve esquecer a influência da temperatura. Então, na hora de calibrar, considere sempre executá-la com os pneus frios e seguindo as dicas do fabricante. Quando se trata de vidas, segurança nunca é demais.

    Gostou do artigo? Compartilhe esta postagem nas redes sociais e ajude a tornar o trajeto de mais pessoas seguro.

    Facebook - Comentários

    Powered by Rock Convert
    Compartilhe

    O que achou do artigo? Deixe um Comentário

    Seu email não será divulgado.
    São campos obrigatórios *