Conheça os principais desafios enfrentados por mulheres caminhoneiras no dia a dia

    Facebook - Comentários
    #wpdevar_comment_2 span,#wpdevar_comment_2 iframe{width:100% !important;}

    Compartilhe

    As mulheres caminhoneiras passam por diversas situações desagradáveis por terem escolhido essa profissão. Afinal, essa é uma carreira que sempre foi vista como masculina, em que homens pegam a estrada e viajam o país inteiro. Entretanto, esse é mais um dos muitos discursos machistas reproduzidos ao longo das décadas.

    Segundo um estudo do Instituto Renault, cerca de 70% dos acidentes de trânsitos são provocados por homens e, apesar disso, ainda são as mulheres os maiores alvos de piadas e comentários maldosos. Além disso, a mesma pesquisa mostra que até 65% dos homens avançam no sinal amarelo, enquanto, entre as mulheres, esse índice é de 15%.

    Portanto, quando as mulheres assumem a direção, as estradas se tornam mais seguras. No entanto, elas ainda sofrem uma série de dificuldades na profissão. Confira mais sobre o assunto a seguir!

    Machismo e assédio

    Mulheres sofrem com o machismo nas mais diversas atividades do dia a dia. Contudo, mulheres caminhoneiras enfrentam muitas situações por seguirem uma carreira que tem, em sua maioria, homens. Questões de assédio e preconceito são comuns, sobretudo por nem sempre as caminhoneiras contarem com outras pessoas como elas no setor.

    Para que essas ocorrências sejam reduzidas, o melhor caminho é a educação, falando abertamente sobre o que está acontecendo e reforçando o respeito. Além disso, também existem projetos que ajudam a destacar a importância do respeito nas estradas.

    Estereótipo da profissão

    Como a profissão de caminhoneiro sempre teve um aspecto de ser majoritariamente masculina, as mulheres sofrem muito com os estereótipos que ficaram atrelados a ela. Assim, muitas pessoas deixam a feminilidade de lado, achando que algumas questões, como aparência e vaidade, são deixadas de lado pelas caminhoneiras.

    No entanto, a profissão não tem nada a ver com o perfil e com a personalidade das mulheres. Portanto, elas podem estar maquiadas e, ainda assim, conseguem executar seu trabalho com primor — ou até mesmo fazer a manutenção de seus veículos.

    Falta de apoio no dia a dia

    Como a sociedade ainda não percebeu que as mulheres podem estar onde quiserem e exercerem a profissão que escolheram sem interrupções, geralmente, as caminhoneiras passam por dificuldades que os homens não passariam. Entre essas questões, estão a falta de apoio no dia a dia, que está muito ligada ao preconceito.

    Às vezes, essa falta de apoio não é apenas na estrada, mas também pode acontecer dentro da própria família. Por isso, muitas podem acabar desistindo da profissão, ou, então, se isolam. Nesse sentido, buscar uma rede de apoio é essencial para não sofrer por escolher viver na estrada.

    Falta de infraestrutura adequada na estrada

    Quem já fez viagens longas na estrada sabe que nem sempre é fácil encontrar bons locais para se alimentar, fazer a higiene e outros aspectos fundamentais. Nesse sentido, as mulheres sofrem muito mais com esses fatores. Entre eles, estão:

    • falta de sanitários em boas condições;
    • hospedagens voltadas para mulheres;
    • falta de segurança na estrada.

    Portanto, as mulheres caminhoneiras podem ter mais problemas nas estradas do que os homens da mesma profissão. Por isso, é essencial buscar soluções para esses desafios, como reforçar a conscientização, criar redes de apoio e investir na representatividade feminina.

    Este post foi útil? Conte para a gente nos comentários o que você acha sobre essas questões sobre as mulheres nas estradas!

    Facebook - Comentários

    Compartilhe